EDUCAÇÃO FINANCEIRA: PAIS E FILHOS JUNTOS, PARA CONSTRUIR UM FUTURO MAIS SEGURO

Dinheiro não é brincadeira, mas é na infância que se aprende a usá-lo!

Educação financeira é um assunto de extrema importância, ainda mais em tempos de pandemia, em que ficou evidente uma grande carência dos brasileiros: a falta de planejamento financeiro e de reservas de emergência para tempos difíceis. Esse problema é antigo, e proveniente da falta de educação financeira nas escolas. Mas, sobretudo, é papel dos pais ensinar e, principalmente, dar exemplos aos seus filhos de gestão financeira.

Ensinar a criança a ter uma relação saudável com o dinheiro é apenas parte da introdução sobre finanças pessoais. A forma como os pais lidam com as suas finanças também influencia muito nos hábitos financeiros dos seus filhos. Isso não significa que a sua saúde financeira deva ser perfeita. E sim, que você deve ter um planejamento financeiro pessoal em dia, pois lembre-se: o exemplo vem de casa!

 

O que você acha que é mais importante na hora de investir: tempo ou rentabilidade?

A realidade é que quanto antes você começar a investir, mais chances terá de acumular mais dinheiro e menos impostos vai pagar. Pensando no futuro dos seus filhos, isso pode significar mais dinheiro para eles estudarem, comprarem um carro, um imóvel, fazerem um intercâmbio, ou comemorarem os 15 ou 18 anos da forma que acharem melhor. Começar cedo é o que garante mais tranquilidade para o futuro dos seus pequenos. O tempo te ajuda e, assim, terá juros sobre juros.

 

É de pequeno que se aprende

Infelizmente, poucas crianças são ensinadas sobre a importância de administrar bem o dinheiro desde pequenas. Na maioria das vezes, elas crescem sem qualquer orientação e, ao chegarem à idade adulta, acabam aprendendo a importância de poupar e investir por necessidade, na tentativa e erro.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Axus (2017) indicou que 93% dos entrevistados nunca aprendeu nem em casa nem na escola como administrar o próprio dinheiro. O estudo também indicou que as crianças que possuem educação financeira reagem melhor quando não podem comprar algo e até ajudam os pais nas compras. Elas também são mais capazes de compreender quando algum revés financeiro ocorre. Então, é muito importante que os pais atuem diretamente na educação financeira dos seus filhos desde pequenos, ensinando a importância de poupar hoje, para colher os frutos no futuro.

 

Qual a importância da educação financeira?

Em primeiro lugar, a criança começa a aprender a dar valor para as coisas que possui, e entender que nada vem de graça e que é difícil conseguir o dinheiro. Além disso, veja mais alguns fatores importantes da educação financeira precoce:

 ● Criar o hábito desde pequeno de se planejar e organizar recursos para alcançar um   objetivo,  por exemplo, comprar brinquedos ou algo que deseje;
 ● Ter a oportunidade de guiar seus filhos em suas primeiras conquistas financeiras;
 ● Entender que o dinheiro é a base das relações de troca;
 ● Aprender a se planejar para alcançar um objetivo, por exemplo, comprar brinquedos, pagar    faculdade ou algo que deseje adquirir;
 ● Aprender a poupar para objetivos futuros;
 ● Ter responsabilidades;
 ● Gerenciar seu próprio dinheiro;
 ● Entender que dinheiro é um meio e não um fim;
 ● Entender que não podemos gastar tudo que se ganha;

Estes são alguns pontos, e muitos pais costumam dar mesada para seus filhos como uma forma de ensinar lições sobre dinheiro para fazê-los compreender, desde pequenos, a importância de cuidar e controlar o dinheiro disponível. Contudo, não basta apenas disponibilizar dinheiro na mão da criança, mas sim, possibilitar meios efetivos para que ela entenda, na prática, a importância de poupar e planejar como será o uso deste dinheiro para alcançar determinados objetivos, como por exemplo, comprar um brinquedo ou videogame.

E como ensinar educação financeira para crianças?

A primeira coisa e mais óbvia é: não adiantará dar tudo de mão beijada às crianças, é preciso mostrar que cada trabalho tem uma recompensa e que a paciência também pode acabar em rentabilidade. Para isso, alguns jogos ajudam. O Bankids, por exemplo, é um simulador de conta para que as crianças aprendam a administrar seu dinheiro, inclusive com demonstrações de investimentos e tributos. Ele é indicado para crianças de até 12 anos. O Goumi é outro jogo eletrônico para crianças de 8 a 12 anos que simula situações cotidianas em que eles devem tomar diversas decisões, que levam ao enriquecimento ou à perda de tudo. Para crianças menores, de 2 a 4 anos, o jogo Quebrando o Cofrinho as incentiva a colocar o máximo de dinheiro na poupança.

Além disso, não poderíamos deixar de citar o clássico Banco Imobiliário, que pode ser jogado com toda a família. Para crianças a partir de 14 anos, o jogo de cartas Bons Negócios também é uma boa alternativa. De forma lúdica, eles aprendem sobre negociações, investimentos e planejamento financeiro. Sem contar os livrinhos de educação financeira, como os da Turma da Mônica (a linha “Meu Bolso Feliz'', está disponível gratuitamente no site), e outros como “O Pé de Meia Mágico” e o “Menino do Dinheiro”.

De qualquer modo, dar autonomia para eles decidirem o que fazer com o dinheiro, ensinar a poupar, mostrar a diferença entre querer e precisar, e mostrar que você está investindo no futuro deles, ensinando pelo exemplo, são práticas fundamentais.

A importância de planejar o futuro dos seus filhos

Ter um futuro financeiramente tranquilo é uma tarefa que precisa começar hoje. No caso dos seus filhos, quanto antes você introduzi-lo as responsabilidades provenientes do dinheiro, melhor. Engana-se quem pensa que é preciso deixar a criança livre de responsabilidades durante a infância. Pelo contrário, é essencial para seu futuro aprender a lidar e criar responsabilidades no gerenciamento do seu dinheiro.

Muitos pais também ensinam a criança a adotar um cofrinho e poupar dinheiro para comprar algo. Contudo, dinheiro parado fora do banco não rende juros e é fundamental para as crianças entenderem o poder do tempo aliado aos juros compostos.

 

 

SOLUÇÃO UNIPRIME CONTA TEEN: PLANEJAR O FUTURO MUDA TUDO

Pensando nessa necessidade dos pais participarem ativamente da educação financeira de seus filhos, a Uniprime Centro-Oeste está lançando a Conta Teens para crianças e adolescentes (até 18 anos de idade). Nossa solução será simples, e essa conta será vinculada à conta poupança do pai ou da mãe. Por meio dela, será possível realizar investimentos programados na poupança a partir de R$150,00 (12x) ou um aporte único de R$1800, com renovação automática. Além disso, crianças maiores de 10 anos poderão contar com o Cartão Puro Débito.

Para abrir a conta, basta apresentar um documento do menor (CPF ou RG), um do responsável legal e um comprovante de residência. A conta é 100% digital e você pode garantir o futuro do seu filho com muita facilidade, do sofá da sua casa! Por isso, procure seu gerente e abra hoje mesmo uma Conta Teens para seu filho(a)! Lembre-se, um futuro melhor para seu ele(a) depende de atitudes simples que você pode tomar agora!

 

Outros artigos